Falta de alinhamento prejudica combate à pandemia, diz presidente da CNM

  • Por Jovem pan
  • 04/07/2020 09h37 - Atualizado em 04/07/2020 10h10
EFE/EPA/CHRISTOPHE PETIT TESSONO presidente da Confederação Nacional dos Municípios defende ainda que municípios de regiões próximas mantenham diálogo para um entendimento unificado da Covid-19

A falta de um alinhamento estratégico entre os municípios e a União está prejudicando o enfrentamento da pandemia da Covid-19. É o que entende o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Glademir Aroldi. Para ele, “transmitir a mesma informação para a população” traria mais efetividade no combate à doença.

Aroldi, em entrevista ao Jornal da Manhã, explicou que a divergência entre declarações dos gestores locais, dos governos intermediários e “do líder maior” – em referência ao presidente da República, Jair Bolsonaro – acaba prejudicando as ações.

O presidente da Confederação Nacional dos Municípios defende ainda que municípios de regiões próximas mantenham diálogo para um entendimento unificado da Covid-19, observando as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Ministério da Saúde e dos decretos de governos intermediários. Segundo ele, “estamos trabalhando com algo que não conhecemos”, o que aumenta a importância de manter entendimento alinhado, “um ajudando o outro”.

Ainda na entrevista, Glademir Aroldi defendeu a unificação das eleições municipais e presidenciais. Segundo ele, há o entendimento que em novembro, quando estão marcadas as novas datas para as eleições de 2020, não será ainda o momento adequado e de segurança sanitária para realizar o pleito.

“Isso já aconteceu em 1982 [unificação das eleições] e, naquela época, a gente não tinha a tecnologia que temos agora e que facilitaria todo o processo. A discussão é a suspensão da eleição para um momento adequado e de segurança sanitária. Mas é evidente que respeitamos a decisão do congresso e do Tribunal Superior Eleitoral. Democracia é assim, você tem que respeitar as decisões tomadas pelo Congresso Nacional.”