Falta de cadastro biométrico deixa milhares de eleitores impossibilitados de votar em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2018 09h22
Elza Fiúza/Agência BrasilA biometria usa as impressões digitais para identificar cada pessoa. O objetivo principal é evitar fraudes e ter mais segurança nas eleições

Cerca de 400 mil paulistas não poderão votar no próximo dia 7 de outubro. Isso porque a biometria é obrigatória em cem cidades de São Paulo, e os eleitores que não fizeram o cadastro das digitais nesses municípios, dentro do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral, tiveram o título cancelado.

Na Grande São Paulo, apenas Guarulhos e Embu das Artes têm obrigatoriedade. A primeira, inclusive, foi a cidade com mais títulos cancelados: 148 mil. Já Embu terá menos 20 mil eleitores no pleito de 2018.

A biometria usa as impressões digitais para identificar cada pessoa. O objetivo principal é evitar fraudes e ter mais segurança nas eleições.

O processo de cadastro é muito simples: as digitais são coletadas em poucos segundos. Na sequência, uma foto é tirada e uma assinatura digitalizada é registrada.

No interior, cidades como Botucatu, Jundiaí, Sorocaba, Louveira, Votorantim e Vinhedo também já passaram pelo cadastro biométrico obrigatório. 21 cidades do Estado vão funcionar com o cadastramento híbrido, ou seja, o eleitor pode usar a biometria ou apresentar um documento com foto para votar. É o caso da capital, onde o uso da digital não é obrigatório.

Quem não atendeu aos chamados para regularizar o título só poderá acertar as contas com a Justiça Eleitoral depois do segundo turno, no dia 5 de novembro.

Depois das eleições 2018, um novo ciclo de cadastramento biométrico obrigatório deve acontecer em São Paulo.

A meta do Tribunal Superior Eleitoral é concluir a operação em todo o país até 2022.

Confira a cobertura completa das Eleições 2018

*Informações da repórter Marcella Lourenzetto