Familiares das vítimas de Suzano devem receber indenização em tempo recorde

  • Por Jovem Pan
  • 08/04/2019 07h47
Estadão ConteúdoNo dia da tragédia, o governador João Doria chegou a falar no montante de 100 mil reais para cada família, mas o valor acordado não será divulgado a pedido dos próprios familiares

O governo do Estado de São Paulo definiu as regras para as indenizações aos familiares das vítimas do massacre de Suzano.

No dia da tragédia, o governador João Doria chegou a falar no montante de 100 mil reais para cada família, mas o valor acordado não será divulgado a pedido dos próprios familiares. As regras foram definidas por uma comissão formada por integrantes da Defensoria Pública e da Procuradoria-Geral do Estado e tiveram como base decisões anteriores em casos semelhantes à tragédia de Suzano.

Os familiares que moravam com as pessoas que morreram no ataque terão acesso ao pagamento.

Parentes que não forem pais e irmãos terão que comprovar na justiça a “coabitação com as vítimas” para receber a reparação por danos morais.

Os 11 feridos que sobreviveram ao ataque também deverão receber indenizações.

A 1ª subdefensora pública-geral de São Paulo, Juliana Belloque, afirmou que se reuniu com os sobreviventes neste sábado e explicou que o pagamento será feito de acordo com o grau da lesão. Esse pagamento mensal também será feito aos maridos das funcionárias mortas e os pais dos adolescentes assassinados no massacre.

Os familiares têm 60 dias para apresentar documentos que comprovem a coabitação com as vítimas. Esse período também será concedido para as famílias decidirem se aceitam ou não a proposta do governo. Se não aceitarem, os familiares poderão entrar Justiça com ações individuais.

O estado não vai indenizar os familiares dos atiradores e nem os de Jorge Antonio Morais, empresário assassinado pelos autores do crime minutos antes do ataque a Escola Raul Brasil.

O pagamento é de responsabilidade do Estado porque o atentado ocorreu nas dependências de uma escola da rede pública de ensino.

*Com informações da repórter Nanny Cox