Familiares e políticos dão adeus ao ex-governador Alberto Goldman

  • 03/09/2019 07h12
Estadão ConteúdoO ex-presidente FHC esteve presente na Alesp nesta segunda-feira (2) para se despedir do companheiro de partido

Familiares, amigos e políticos dão o último adeus ao ex-governador de São Paulo, Alberto Goldman. O corpo do engenheiro de 81 anos foi velado no hall monumental da Assembleia Legislativa paulista entre a manhã e a tarde desta segunda-feira (2). A cerimônia reuniu integrantes de diferentes partidos, principalmente do PSDB, sigla onde ele encerrou a carreira.

O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso avalia que uma personalidade com a de Alberto Goldman vai fazer falta em tempos de demonização da política. “Pode demonizar quanto queira a política, mas o fato é que são os políticos que mandam. Se tiver errado, critiquem. Se tiver certo, apoiem. Goldman sempre foi decidido, nunca foi de meias palavras.”

Goldman morreu no domingo (1) aos 81 anos no Hospital Sírio-Libanês, depois de sofrer uma hemorragia cerebral. Ele se tratava de um câncer.

O político foi governador de São Paulo por alguns meses em 2010 depois da renúncia de José Serra, que concorreu à presidência da República. Além disso, ele foi deputado estadual, deputado federal, secretário de Estado e ministro dos Transportes no governo Itamar Franco.

O vereador Eduardo Suplicy (PT), conta que Alberto Goldman foi um incentivador da entrada dele na carreira política. “Alberto Goldman foi quem me estimulou a ser político, então ingressei no MDB em 1977 e no ano seguinte concorri como deputado estadual.”

A viúva de Alberto Goldman vai se lembrar dele como um companheiro e um amigo ao longo de 42 anos de casamento. Deuzeni Goldman diz, no entanto, que o ex-governador foi bastante impactado pelos acontecimentos de ordem política dos últimos meses.

“Ele andava muito triste ultimamente, com a situação do país e do partido. O PSDB implodido, praticamente, e isso o debilitou muito. Ele se sentiu muito desolado. A partir disso a doença tomou conta.”

O corpo do ex-governador foi transportado da Alesp para o Cemitério Israelita do Butantã, onde foi sepultado na tarde desta segunda-feira.

Alberto Goldman deixa esposa, cinco filhos e quatro netos.

*Com informações do repórter Tiago Muniz