Fernández indica Martín Guzmán para comandar economia e negociar dívida da Argentina

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2019 08h34
EFEGabinete proposto por Fernández dobra de tamanho em relação ao de Maurício Macri; agora, são 20 ministérios, incluindo um da Mulher, Gênero e Diversidade

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, anunciou, nesta sexta-feira (6), os nomes dos 20 ministros e três secretários que irão compor o gabinete. Depois de semanas de suspense, o economista Martín Guzmán, de 37 anos, foi confirmado para assumir a pasta mais importante da gestão, a de economia.

Será dele a responsabilidade de negociar os prazos da dívida argentina de cerca de cem bilhões de dólares com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Além de Guzmán, o presidente eleito confirmou o nome de Santiago Cafiero, filho e neto de peronistas históricos, como chefe de gabinete.

No anúncio, Fernández agradeceu a todos por ter “aceitado o desafio” e os convocou para “fazer um novo país”. O presidente eleito prometeu, ainda, que não vai congelar preços para combater a inflação.

Durante as apresentações da equipe, Fernández fez críticas ao governo do atual presidente, Mauricio Macri. Segundo ele, o país começou inexplicavelmente a fazer dívidas que não poderiam ser pagas.

O gabinete proposto por Fernández dobra de tamanho em relação ao enxugamento feito por Macri, passando a contar, agora, com 20 ministérios. Uma das novidades é o ministério da Mulher, Gênero e Diversidade, que ficará a cargo de Elizabeth Gómez Alcorta.

Dos 20, nove são ocupados por mulheres. No final da gestão Macri, só havia duas ministras. Algumas pastas também foram elevadas à condição de Ministério, como a do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

O novo governo comandado por Fernández, eleito em outubro, assume a Casa Rosada na próxima terça-feira (10).

*Com informações da repórter Letícia Santini