Filantropia cresce em meio ao avanço de pandemia do coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 14/03/2020 08h23
EFE/Sáshenka GutiérrezPara combater o novo vírus que já infectou mais de 130 mil pessoas, hospitais e instituições de saúde precisarão de mais doações

O Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social estima que o Brasil precisará de mais filantropia para combater o novo coronavírus, o Covid-19.

As fundações que compõe o Sistema Único de Saúde, afirmam que vão precisar de mais recursos para enfrentar a pandemia.

De acordo com a presidente do IDIS, Paula Fabiani, a ação é importante em momentos de crises severas. “As santas casas fazem parte do sistema de saúde e prestam um serviço muito importante nos municípios. Os hospitais também são instituições que fazem parte do sistema de saúde e que serão parte fundamental para conseguir enfrentar essa situação.”

Ao redor do mundo, a pandemia do novo coronavírus já sensibilizou a filantropia. O cantor Justin Bieber, os milionários Bill e Melinda Gates e as grifes italianas Giorgio Armani e Versace, doaram grandes quantias para a pesquisa de vacina e hospitais.

O Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social acredita que este movimento mundial encoraje os brasileiros a doarem. O rompimento da barragem em Brumadinho em 2019, por exemplo, provocou um grande efeito de filantropia.

A lei Endowment, que está em vigor desde o ano passado, visa estabelecer os Fundos Patrimoniais Filantrópicos no Brasil, mas ainda não teve os efeitos desejados.

*Com informações da repórter Lívia Fernanda.