Final de semana é marcado por casos de violência no Rio de Janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 30/09/2019 08h34
DHAVID NORMANDO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDODurante o final de semana, Wilson Witzel chegou a dizer que a cidade do Rio de Janeiro é a segunda mais segura do Brasil

O final de semana foi marcado por casos de violência e criminalidade no município do Rio de Janeiro e na região metropolitana.

Em Benfica, na Zona Norte, três pessoas que estavam dentro de um coletivo foram atingidas por balas perdidas. O ônibus passava pelo local justamente no momento em que havia uma perseguição policial – a PM estava trocando tiros com dois ocupantes de uma motocicleta.

Um deles foi ferido e a acabou sendo preso. O outro conseguiu escapar.

As vítimas foram levadas para um Hospital da região Central da cidade.

Segundo estatísticas extra-oficiais, já são cerca de 40 mortes por balas perdidas no Estado e mais de 140 ocorrências.

Apreensão no Galeão

No aeroporto do Galeão, um homem que vinha de Belém do Pará foi detido pela Receita Federal e pela Polícia Federal. Na bagagem, ele transportava 250 mil euros – aproximadamente R$ 4 milhões. O homem não soube explicar a procedência da quantia.

A PF e a RF suspeitam que a origem seja ilegal, podendo ser utilizado com ilícitos no Estado do Rio de Janeiro.

Mortes em Nova Iguaçu

Na Baixada Fluminense, quatro corpos foram encontrados na região de Nova Iguaçu. Entre as vítimas está um homem de 51 anos de idade e outros três jovens de 15, 17 e 18 anos.

A Polícia investiga se há correlação entre as mortes.

Cidade mais segura

Durante o final de semana, Wilson Witzel chegou a dizer que a cidade do Rio de Janeiro é a segunda mais segura do Brasil. Porém, um estudo divulgado pelo MP mostrou que onde há mais mortes em intervenções policiais não está havendo redução nos índices de mortalidade.

De janeiro a agosto desse ano quase 1300 pessoas morreram em operações policiais no Estado.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga