Fiocruz encontra indícios de coronavírus em esgoto e faz apelo por reforço do saneamento

  • Por Jovem Pan
  • 29/04/2020 06h09 - Atualizado em 29/04/2020 08h00
De acordo com o IBGE, em 2016 foram 166 internações por 100 mil habitantes em decorrência de problemas causados pela falta de tratamento

Fiocruz recomenda aos governadores ampliar obras de saneamento básico para amenizar impactos da pandemia do coronavírus. Em carta aberta aos estados, principalmente aos do Nordeste, a Fundação ressalta que a melhoria na infraestrutura poderia poupar contaminações.

De acordo com o IBGE, em 2016 foram 166 internações por 100 mil habitantes em decorrência de problemas causados pela falta de tratamento de água e esgoto. Entre as doenças mais comuns estão diarreia, hepatite A, leptospirose e cólera.

No caso do coronavírus, os problemas de saneamento podem favorecer a contaminação. O diretor da unidade da Fiocruz em Pernambuco, pesquisador Sinval Brandão, ressalta que qualquer doença agrava o quadro.

A Fundação afirmou nesta terça-feira (28) que encontrou o coronavírus em um esgoto na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro. Isso explicaria o número elevado nas contaminações.

Dessa forma, a descoberta pode ajudar a monitorar a disseminação do vírus.

O diretor presidente do Instituto Trata Brasil, Edison Carlos, avalia que as condições de infecção podem piorar. Ele lembra que 48% dos brasileiros não têm qualquer tipo de coleta de esgoto.

O Trata Brasil indica ainda que os equivalentes a 500 mil piscinas olímpicas cheias de esgoto foram despejados.

*Com informações da repórter Camila Yunes