FMI se reúne com Macri e reafirma apoio à Argentina

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2019 07h19
EFEApós o acordo firmado com o FMI, manifestantes foram às ruas manifestar contra o presidentre Maurício Macri

O Fundo Monetário Internacional reiterou nesta terça-feira (25) a intenção de ajudar financeiramente a Argentina. O diretor-gerente interino do FMI, David Lipton, afirmou que se reuniu com o presidente Maurício Macri, o ministro de Finanças, Hernán Lacunza, e o governador do Banco Central, Guido Sandleris.

Em nota divulgada pelo órgão, Lipton disse que expressou a intenção de continuar colaborando com as autoridades e “ajudá-las a responder à situação difícil e aos tempos desafiadores que se aproximam”. Ele ainda frisou que o diálogo entre o FMI e a Argentina continuará com reuniões técnicas nesta semana e “antes das reuniões anuais”.

David Lipton elogiou as medidas tomadas pelo governo argentino e disse que elas ajudaram a “acalmar o mercado”.

A Argentina vive uma forte crise política e econômica. Agora, a expectativa para amenizar os déficits bancários é que o FMI libere mais uma parcela de linha de crédito e reformule as datas de pagamento. O país recebeu desde o ano passado cerca de US$ 44 bilhões do programa de crédito do Fundo Monetário Internacional.

O cenário instável na Argentina piorou com o a vitória do candidato de centro-esquerda, Alberto Fernández, nas primárias. O peronista está na frente do atual presidente Maurício Macri, como favorito para vencer o pleito nas eleições que ocorrerão no dia 27 de outubro.

*Com informações da repórter Camila Yunes