Fracassa segunda rodada de negociações entre regime Maduro e opositores na Noruega

  • Por Jovem Pan
  • 30/05/2019 07h19
EFEPela primeira vez em três anos, país divulgou dados da inflação

O Banco Central da Venezuela informou nesta quarta-feira (29) que a inflação do país chegou a 130.000% em 2018. Além disso, a contratação da economia entre 2013 e 2018 chegou a 47,6 %. A divulgação dos números veio no primeiro relatório do Banco Central após 3 anos.

Segundo o Fundo Monetário Internacional, no entanto, a inflação está ainda maior. O FMI calcula que, no ano passado, o valor chegou a mais de 1 milhão por cento e deve chegar a 10 milhões por cento neste ano.

Segundo economistas, a Venezuela vive um quadro de hiperinflação severa, quando a população já não tem poder de compra e o governo perdeu totalmente o domínio sobre o controle de preços.

Em comparação com a economia brasileira, hoje a inflação está em 4,5% e a retração da economia no momento de maior crise, entre 2015 e 2016, foi de 7%. Um exemplo da crise Venezuela pode ser a comparação de itens básicos como a gasolina. Um ovo no país custa o equivalente a mais de 90 milhões de litros de gasolina.

Isso porque enquanto tudo aumenta, o preço da gasolina foi congelado no país, sendo subsidiado pelo governo venezuelano. O Banco Central venezuelano informou ainda que a arrecadação com as exportações de petróleo caíram para um valor de US$ 29 bilhões em 2018, em 2013 esse valor chegava a US$ 85 bilhões.

Também nesta quarta-feira, representantes do governo Nicolás Maduro e da oposição de Juan Guaidó se reuniram para mais uma rodada de conversas intermediadas por autoridades norueguesas. O encontro, no entanto, terminou sem acordo.

*Com informações da repórter Victoria Abel