França entra na segunda fase de reabertura após 3 meses em quarentena

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 02/06/2020 08h30
EFEPiscinas, academias, parques de diversões, teatros e salas de concerto podem reabrir a partir de terça-feira em zonas verdes

Este 2 de junho é simbólico na França porque o país entra na segunda fase de reabertura depois de quase 3 meses em quarentena. O primeiro-ministro do país, Edouard Philippe, descreveu esse avanço da seguinte forma: “A liberdade, enfim, volta a se tornar a regra enquanto as proibições voltam a ser a exceção.”

A França foi um dos países mais atingidos pelo coronavírus na Europa e por isso também estabeleceu regras duras de confinamento. Mas o pior parece ter ficado para trás: os especialistas do país dizem que a maior parte do território francês registra baixa circulação da covid-19.

Uma das poucas exceções é a região metropolitana de Paris, que segue classificada como área laranja. Mesmo assim, até a capital passa por uma flexibilização importante que teve início no dia 11 de maio.

Parques e varandas de restaurantes voltam a abrir na capital francesa. No resto do país, cafés, bares e outros estabelecimentos estão liberados. As escolas, que já vinham sendo reabertas de forma gradual, também passam a receber mais alunos a partir de hoje de diferentes períodos.

Piscinas, academias, parques de diversões, teatros e salas de concerto podem reabrir a partir de terça-feira em zonas verdes — ou seja, em quase todo o país. E a partir de 22 de junho em zonas laranja, como Paris e a Guiana Francesa, que faz fronteira com o Brasil. Os cinemas poderão reabrir em todo o país em 22 de junho.

Há 12 dias consecutivos a França registra menos de 100 mortes por dia causadas pelo coronavírus em hospitais. Os números de pacientes internados em leitos de UTI por conta da covid-19 também caíram para os níveis vistos no final de março.

As restrições de viagem na França também foram retiradas, mas só para os deslocamentos internos. As fronteiras do país continuam com restrições até pelo menos o dia 15, mas devem ser reabertas para outros países europeus em breve.

Outro país duramente atingido pela pandemia, a Espanha, também tenta avançar na retomada de alguma normalidade pós pandemia. Pela primeira vez em dois meses, o país não relatou novas mortes por coronavírus em sua atualização diária.

A Espanha registrou sua primeira morte relacionada ao coronavírus em 3 de março. Um mês depois, em 2 de abril, registrou seu maior aumento único diário: 950 mortes.

Barcelona e Madri, que são os principais focos ativos do país, tentam avançar para a fase dois de reabertura desenhada pelo governo central já na semana que vem.