Frederick Wassef nega intimidação a jornalista: ‘Não existe qualquer ameaça’

Advogado do presidente Jair Bolsonaro foi denunciado pela repórter do UOL, Juliana Dal Piva, responsável por publicação de matérias sobre o caso das rachadinhas

  • Por Jovem Pan
  • 11/07/2021 10h23 - Atualizado em 11/07/2021 12h49
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO - 25/06/2021 Frederick Wassef é advogado do presidente Jair Bolsonaro

Frederick Wassef chegou aos estúdios da TV Jovem Pan News para esclarecer a denúncia de intimidação e ameaça que teria partido dele contra a jornalista do UOL, Juliana Dal Piva. Na ocasião, durante uma troca de mensagens, Wassef enviou uma série de questionamentos a repórter. Num trecho das mensagens, ele escreveu: “Faça lá o que você faz aqui no seu trabalho, para ver o que o maravilhoso sistema político que você tanto ama faria com você. Lá na China, você desapareceria e não iriam nem encontrar o seu corpo.” O advogado negou que a mensagem seria uma forma de intimidar a profissional da imprensa. “De forma alguma. Isso é uma mentira, é uma farsa. Bastasse ler a mensagem na íntegra que qualquer pessoa vai entender que não existe qualquer ameaça nem à jornalista nem a nenhuma outra pessoa”, afirmou Wassef. “Não existe polêmica com nenhum outro jornalista. É a primeira vez que eu estou tendo uma situação dessa magnitude, em que virou um tsunami midiático no Brasil. Deixando bem claro que eu sou a vítima de duas situações gravíssimas. Uma vez mais sou vítima de fake news e, na sequência, se replicou em inúmeros blogs e sites o crime de calúnia, que é a afirmação: Wassef ameaçou jornalista. Mentira, eu não ameacei a jornalista. Não ameacei ninguém”, respondeu.

Frederick Wassef diz ainda que conversava com a jornalista Juliana Dal Piva constantemente e que ela quebrou o direito da fonte, ao revelar uma conversa “em off”. Em off, na linguagem do jornalismo, significa uma conversa informal entre fonte e jornalista que não vai ao ar. “Até esse dia, existia uma regra entre eu e essa jornalista que é o chamado off. A regra é muito clara. Quando eu converso com a jornalista Juliana Dal Piva, sempre estamos conversando em off. Quando é em on, é uma entrevista, eu gravo e a coisa vai em on. Infelizmente ela quebrou o off com uma pessoa e publicou, de forma maliciosa e fora de contexto, um trecho de uma mensagem longa. Portanto a sabotagem na comunicação, tirar de contexto uma frase e maliciosamente transformar aquilo em ameaça é um ato de má fé que atingiu minha imagem e reputação”, disse o advogado. Wassef foi questionado sobre uma possível interferência do Planalto sobre o teor da mensagem enviada à da jornalista do UOL, responsável pela reportagem sobre o esquema da rachadinha envolvendo o presidente da República, Jair Bolsonaro. “Não, nenhuma [interferência]. E repito: ali, quando eu mando mensagem, sou eu, pessoa física, cidadão brasileiro Frederick Wassef falando em meu nome e eu tenho a liberdade, que a própria jornalista me deu. Eu tenho centenas de mensagens trocadas ao longo dos últimos dois anos com a jornalista Juliana Dal Piva e ela me autorizou. Sempre tive uma relação respeitosa com ela, sem qualquer problema, e, na verdade, ela quebrou o off e eu fui traído”, completou Wassef.

Por telefone, a jornalista informou a nossa equipe de reportagem que está analisando junto com o setor jurídico do UOL duas ações: civil e criminal contra o advogado do presidente da República. Ela também salientou que todo o conteúdo foi gravado. Frederick Wassef contou durante a entrevista que está disposto a pedir desculpas à jornalista e que tudo não teria passado de de “um mal entendido”. “Eu não fiz absolutamente nada de errado e nem ameacei. Se ela quiser que eu peça desculpas porque eu fiz perguntas, então é outra história. Ela tem que me dizer que ela ficou ofendida pelo fato de eu fazer perguntas. Se ela quer uma desculpa por eu fazer perguntas, se ela está magoada com isso, eu sou uma pessoa humilde e gosto dela. Não tenho nada contra. Hora que ela quiser vamos ligar, conversar. Eu quero ter uma relação normal com ela, afinal ela acompanha o caso e é importante pelo reestabelecimento da verdade real assim como todos os demais jornalistas. Na hora que ela quiser, ela tem meu celular, é só ligar, vai ser recebida da mesma forma de sempre com profissionalismo, ética e respeito.” A mensagem, segundo a jornalista, foi enviada no dia 9 de julho, no dia em que foi publicado o quarto episódio do podcast “UOL Investiga”, “A Vida Secreta de Jair”. Em nota, o UOL repudiou as ameaças. A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) também condenou a atitude do advogado do presidente da República. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, afirmou que “vai determinar que a corregedoria da OAB apure o fato ocorrido e tome as medidas necessárias.”

*Com informações do repórter Maicon Mendes