Frio persiste e busca por ajuda cresce 32% no Rio de Janeiro

Desde a última semana, mais de 1,5 mil pessoas em situação de rua foram abordadas por equipes da Prefeitura

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2021 07h40 - Atualizado em 04/08/2021 10h42
Saulo Dias/Photopress/Estadão Conteúdo - 13/05/2021As redes de solidariedade também estão se mobilizando para ajudar e acolher as pessoas acometias pela pobreza

Como se não bastassem os efeitos econômicos e sociais causados pela pandemia de Covid-19, emergiu, principalmente da semana passada para cá, um problema adicional principalmente para os mais pobres e carentes: o frio. As temperaturas atingiram, nas últimas semanas, mínimas históricas para o ano, em muitos anos e até em décadas. Resultado: pessoas pedindo ajuda e socorro à Prefeitura. De acordo com a Secretaria municipal de Assistência Social, houve um aumento de 32% em relação ao mesmo período do ano passado nos chamados devido a essa onda de frio. Desde a última semana, mais de 1,5 mil pessoas em situação de rua foram abordadas por equipes da Prefeitura. Dessas, quase 250 foram acolhidas nos abrigos do município. Pedidos de ajuda por conta do frio são feitos por um canal direito — o 1746. O clima deve ficar ruim até o fim desta semana, com mais sofrimentos para essas pessoas. As redes de solidariedade também estão se mobilizando para ajudar e acolher as pessoas acometias pela pobreza, às vezes pelo descaso, e que agora ainda tem que enfrentar a pandemia e o frio mais rigoroso na capital.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga