Futuro da Dutra, rodovia mais importante e cobiçada do Brasil, começa a ser discutido

  • Por Jovem Pan
  • 10/02/2020 06h59 - Atualizado em 10/02/2020 08h52
NILTON CARDIN/ESTADÃO CONTEÚDORodovia Presidente Dutra atualmente é administrada pela CCR

O edital da nova concessão da Rodovia Presidente Dutra, em São Paulo. deve ser publicado em março, depois que o Tribunal de Contas da União (TCU) aprovar os estudos realizados. A etapa de audiências públicas presenciais terminou na semana passada, depois de sete encontros.

O leilão deve acontecer apenas no segundo semestre e será feito por um modelo que mistura a menor tarifa de pedágio e a maior outorga para a União. Estão previstos R$ 32 bi em investimentos ao longo do período da concessão, que será de 30 anos. Além disso, são esperadas a geração de 10 mil empregos, e a arrecadação de R$3 bi de ISS, o imposto sobre serviços.

As cidades pelas quais a via Dutra passa esperam melhorias no entorno. Um dos pedidos de Guarulhos, por exemplo, é o alargamento de córregos que, com as fortes chuvas, causam enchentes. No entanto, o prefeito Gustavo Henric Costa (PSB), o Guti, criticou a possibilidade de criação de pedágios no município.

“A gente não quer que onere o bolso do guarulhense, porque a gente utiliza a rodovia como uma avenida, ligando de ponta a ponta a nossa cidade. OU seja, o guarulhense vai ser muito prejudicado, e é por isso que somos contra qualquer tipo de cobrança na rodovia Presidente Dutra.”

Por outro lado, em evento na última quinta-feira, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, pediu cautela. Ele afirmou que o Governo Federal não tem dinheiro e que é preciso recorrer à iniciativa privada para fazer os investimentos necessários.

“Nós temos que separar, nessas horas, a questão técnica do populismo, do oportunismo, da questão eleitoral. Esse ano tem eleição para prefeito. É muito simpático bater em pedágio, dizer ‘Eu não quero pedágio no meu município’, como se as coisas fossem de graça”.

Essa será a primeira vez que a rodovia Presidente Dutra terá a concessão renovada. O contrato da empresa CCR, que a administra há quase vinte e cinco anos, termina em 2021.

* Com informações da repórter Nicole Fusco.