General Heleno nega espionagem de bispos e diz que só dará explicações se for convocado

  • Por Jovem Pan
  • 13/02/2019 06h38
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilA declaração do general Augusto Heleno foi dada após ser questionado sobre quais seriam as preocupações do governo de Jair Bolsonaro a respeito do Sínodo sobre a Amazônia

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional afirmou nesta terça-feira (12) que ONGs estrangeiras e chefe de Estado de outros países não devem dar palpite na Amazônia brasileira.

A declaração do general Augusto Heleno foi dada após ser questionado sobre quais seriam as preocupações do governo de Jair Bolsonaro a respeito do Sínodo sobre a Amazônia, que será realizado pela Igreja Católica em outubro, no Vaticano.

Para o ministro, cada país deve ser responsável por sua soberania. O general Augusto Heleno negou que integrantes da Igreja Católica estejam sendo investigados pela Agência Brasileira de Inteligência, e disse que só dará explicações sobre acusações de espionagem à Câmara dos Deputados, se for convocado.

Nesta terça-feira, o senador Humberto Costa (PT) criticou a suposta investigação dos bispos e disse ser um retrocesso que remonta à época da ditadura. A crítica foi feita durante a avaliação do parlamentar sobre o primeiro mês de governo de Jair Bolsonaro. Ele também lamentou medidas adotadas, como as alterações do Programa Mais Médicos e as possíveis mudanças na Previdência Social.

*Informações da repórter Natacha Mazzaro