Governador do MS, Reinaldo Azambuja critica operação de busca e apreensão em sua residência

  • Por Jovem Pan
  • 14/09/2018 07h13 - Atualizado em 14/09/2018 07h14
Reprodução/Twitter Azambuja é investigado pela Operação Vostok, com suspeita de ter recebido R$ 67 milhões em propina do setor agropecuário em troca de benefícios fiscais

O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), que tenta a reeleição, se defendeu e criticou a busca e apreensão feitas na residência dele, na quarta-feira (12).

Azambuja é investigado pela Operação Vostok, com suspeita de ter recebido R$ 67 milhões em propina do setor agropecuário em troca de benefícios fiscais.

Um filho dele, Rodrigo Silva, foi preso. Em nota, o governador disse que há um ano e meio “se colocou voluntariamente à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos sobre o caso”, mas “jamais foi convocado” para se defender das acusações do que classifica como a “delação mais questionada do país”.

Reinaldo Azambuja também questionou a operação na casa dele. Destacou o fato de ela ocorrer a 20 dias da eleição, afirmando que se deu “de forma intempestiva e midiática sem, contudo, a ocorrência de nenhum fato novo na tramitação do inquérito”.

O tucano disse que está tomando as providências para reverter a prisão temporária do filho.

*Informações do repórter Levy Guimarães