Governo anuncia 66 mil bolsas para qualificação de professores

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2019 07h01 - Atualizado em 13/12/2019 07h18
USP ImagensCapes lançará cinco editais de programas no dia 18 de dezembro; investimento é de R$ 325 milhões

A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) vai disponibilizar 66 mil novas vagas para formação de estudantes de licenciatura e de professores que lecionam na educação básica. O investimento soma R$ 325 milhões e inclui a oferta de capacitação nos Estados Unidos e no Canadá.

Serão lançados, no próximo dia 18, cinco editais de programas da Capes: um de iniciação a docência voltado para estudantes de licenciatura que estão na primeira metade do curso e um de residência pedagógica para os que estão na segunda metade; um para desenvolvimento profissional de professores de língua inglesa nos Estados Unidos e outro no Canadá; e um para professores da rede pública que não possuem formação na área em que atuam.

Segundo o governo, centenas de universidades, públicas e privadas, poderão competir pelos recursos, e o pagamento das bolsas está previsto para a partir de março do ano que vem.

A expectativa, como afirma o presidente da Capes, Anderson Correia, é que a capacitação desses estudantes de cursos de licenciatura e dos professores contribua com o aumento da qualidade da educação básica no país. “Em todo esse sistema, a gente espera a melhoria significativa do Pisa para os próximos anos. O professor é o elo vital da formação das crianças no país. Um professor bem formado, motivado, reciclado, qualificado, certamente terá um impacto muito grande na formação dos brasileiros”, disse.

No caso dos programas Pibid e Residência Pedagógica, as bolsas mensais serão destinadas a todos os agentes que participam do processo de ensino: ao estudante de licenciatura que trabalhará nas escolas públicas, aos professores que acompanharão as atividades dos licenciandos, e aos coordenadores que atam nas instituições de Ensino Superior.

Já no caso do Parfor, serão abertas, inicialmente, 150 turmas em cursos de licenciatura para atender cerca de 6 mil professores que atuam em todas as etapas da educação básica.

A ideia é capacitar os profissionais que estão fora da área de formação. De acordo com o presidente substituto do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Camilo Mussi, esse ponto é de extrema importância porque, atualmente, 40% dos professores da rede pública dão aulas de matérias sobre as quais não se especializaram.

“Com certeza os índices que vão ter no Pisa, nas avaliações da educação básica, espera-se e temos a certeza que o professor melhor formado vai impactar nesses índices”, afirmou.

A definição dos locais de realização dos cursos de capacitação desses professores que atuam fora da área de formação ocorrerá após o levantamento das demandas por parte das secretarias estaduais e municipais de educação. Por isso, os interessados deverão se inscrever a partir do dia 18 de dezembro na Plataforma Capes de educação básica e indicar o curso de interesse para formação.

O edital com as instituições de ensino superior que oferecerão os cursos será publicado em março de 2020. 

*Com informações do repórter Antonio Maldonado