Governo aposta em plano de desestatizações; oposicionistas demonstram preocupação

  • Por Jovem Pan
  • 21/02/2018 06h33 - Atualizado em 21/02/2018 07h47
DivulgaçãoO debate sobre as privatizações, especialmente da Eletrobras fez com que as ações da empresa tivessem forte alta na Bovespa que por sua vez bateu recorde ultrapassando a marca de 86 mil pontos

A privatização da Eletrobras dominou o debate na Comissão de Infraestrutura no Senado sobre o plano de desestatizações do Governo federal nos setores elétrico, de petróleo e gás, de portos, aeroportos, rodovias e ferrovias.

Segundo Paulo Pedrosa, secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, a Eletrobras enfrenta um processo de endividamento que a tem impedido até mesmo de participar de leilões. Para ele, a capitalização da empresa é imprescindível: “ela não vinha participando dos últimos leilões de transmissão, vinha reduzindo a participação, em 10 anos deixou de pagar R$ 122 bilhões em dividendos e impostos à União”.

O setor de petróleo e gás também espera ser impulsionado com os leilões.

Márcio Félix Carvalho Bezerra, secretário de Petróleo e Gás Natural do Ministério de Minas e Energia comemorou a retomada do plano de desestatização: “essa retomada, com esses leilões, estão dinamizando a economia”

O programa de privatizações desde maio de 2016 em 70 certames de energia portos, rodovias e aeroportos arrecadou mais de R$ 142 bilhões. Para 2018, serão mais 75 incluindo a Casa da Moeda.

Tarcísio Gomes Freitas, da Secretaria-Geral da Presidência, disse que diversos players internacionais estão interessados neste novo modelo. “Nós tivemos, nestes leilões, a participação de empresas de 20 países”.

Oposicionistas se dizem contra a privatização. O senador Jorge Viana (PT-AC) demonstrou preocupação com uma área considerada estratégica para o país: “eu não posso pegar no pior momento da vida nacional e vender o pouco patrimônio que o Brasil tem”.

O debate sobre as privatizações, especialmente da Eletrobras fez com que as ações da empresa tivessem forte alta na Bovespa que por sua vez bateu recorde ultrapassando a marca de 86 mil pontos.

*Informações do repórter Daniel Lian