Governo de SP atribui atrasos em estações do Metrô à empresa responsável por sinalização

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2018 06h57
A2img/Eduardo SaraivaO governo do Estado atribui os atrasos à empresa Bombardier, responsável pela sinalização do sistema que controla a passagem dos trens

O Metrô de São Paulo adiou, mais uma vez, a entrega de novas estações da Linha 5-Lilás. O ramal foi prometido para 2014, mas, de lá para cá, o cronograma já foi alterado várias vezes.

A chamada “linha da integração” vai ligar o Capão Redondo à Chácara Klabin, mas, até agora, chega apenas até o Brooklin. A Estação Eucaliptos, próxima parada a ser inaugurada, estava prometida para dezembro do ano passado. Ela já ficou pronta, mas só deve abrir as portas no final de fevereiro.

Já os terminais Moema, AACD-Servidor e Hospital São Paulo, que seriam inaugurados ainda este mês, só devem operar no final de março ou em abril.

O governo do Estado atribui os atrasos à empresa Bombardier, responsável pela sinalização do sistema que controla a passagem dos trens.

Segundo o secretário dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, a companhia será punida: “nós estamos executando as multas. Temos R$ 12 milhões já aprovados e iniciaremos processos de mais R$ 46 milhões. O sistema de sinalização coordena as chegadas e partidas de trens para que possamos operar com intervalo de dois a dois minutos e meio. Sem esse sistema não temos condições de termos segurança”.

O secretário descartou a possibilidade de excluir a Bombardier da operação de outros ramais.

Até agora, a linha 5-Lilás liga o Capão Redondo ao Brooklin. Mais duas estações têm previsão de abertura para abril: Santa Cruz, com integração à Linha 1-Azul, e Chácara Klabin, na conexão com a Linha 2-Verde.

Depois disso, faltará apenas o terminal Campo Belo, que está previsto para dezembro de 2018.

*Informações do repórter Vitor Brown