Governo de SP deve entrar com ação no STF para garantir contratação de professores temporários

  • Por Jovem Pan
  • 09/01/2019 06h58
USP ImagensO Estado enfrenta a possibilidade de começar o ano letivo com 2,5 milhões de estudantes sem aula no dia 1º de fevereiro

O governo de São Paulo deve entrar com ação no Supremo Tribunal Federal já nesta semana para garantir a contratação de professores temporários. A hipótese foi confirmada no fim da manhã desta terça-feira (08) pelo secretário da Educação, Rossieli Soares.

O Estado enfrenta a possibilidade de começar o ano letivo com 2,5 milhões de estudantes sem aula no dia 1º de fevereiro. Uma decisão judicial do ano passado impede a contratação de novos professores de maneira temporária.

O secretário da Educação disse que o processo deve ser levado diretamente ao Supremo Tribunal Federal. Rossieli Soares afirmou que o Estado considera que o caso levanta uma questão constitucional e por isso vai ao STF já nesta semana.

As declarações foram dadas pelo secretário durante entrevista coletiva realizada no fim da manhã desta terça-feira (08). Na ocasião, ele acompanhou a assinatura dos contratos de fornecimento de kits de material escolar.

O atual governo afirmou que a gestão anterior havia apenas fechado acordos para a entrega dos itens na capital paulista. Rossieli Soares disse que para o interior e para a Grande São Paulo, os convênios não tinham sido concluídos. O contrato prevê a distribuição de kits para quase 3,5 milhões de alunos.

De acordo com o secretário, os estudantes da Capital recebem o material até meados de fevereiro, enquanto os das demais regiões até o fim de março.

*Informações do repórter Tiago Muniz