Governo diz que questão eleitoral dificulta situação em RR; secretário reage: “mais uma desculpa”

  • Por Jovem Pan
  • 20/08/2018 09h31 - Atualizado em 20/08/2018 09h33
EFE/GERALDO MAIAEm entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o secretário de Relações Institucionais, Marcelo Lopes, classificou a leitura como “mais uma desculpa do Governo Federal”

Diante da situação vivida em Roraima com a entrada constante de venezuelanos pela fronteira, a leitura recente do Palácio do Planalto é de que a governadora Suely Campos (PP) e seus aliados têm incitado a população a hostilizar os imigrantes. A pepista é candidata à reeleição e adversário de Romero Jucá (MDB), aliado do presidente Michel Temer.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o secretário de Relações Institucionais, Marcelo Lopes, classificou a leitura como “mais uma desculpa do Governo Federal”.

“A questão político-partidária é natural no país todo. A governadora Suely tem acompanhado isso como questão de Estado e não de governo. Qual a justificativa que o Governo Temer daria para o ano passado? A governadora já cobrava medidas há dois anos e nada era feito. Para que não ficasse na esfera administrativa, ela ingressou com ação no STF, para que fosse garantida todas as demandas”, disse Lopes.

Neste fim de semana, moradores do município de Pacaraima (RR), que fica na fronteira com a Venezuela, expulsaram venezuelanos de barracas e abrigos e atearam fogo a seus pertences num princípio de revolta contra a presença deles na cidade.

A população local realizou neste sábado (18) um ato em frente ao Comando Especial de Fronteira do Exército, que fica na cidade, contra a presença de refugiados do país vizinho. A manifestação pacífica culminou com os episódios de violência.

Na sexta (17), um comerciante local foi assaltado e espancado em casa supostamente por quatro venezuelanos, provocando revolta nos moradores. Também irritou a população a falta de uma ambulância para socorrer o comerciante, que ao final foi atendido no hospital local e encontra-se em estado estável.

Nesta segunda-feira (20), segundo Lopes, a situação “já está normalizada” e a fronteira já está aberta para a entrada de novos imigrantes venezuelanos. “Calculamos que mais de 800 venezuelanos entrarão no País hoje”.

A população de Pacaraima, que é de cinco mil habitantes, possui uma população flutuante de 10 mil, e a alternativa seria a interiorização dos imigrantes a outros Estados. Entretanto, até o momento “cerca de 800 foram interiorizados pelo Brasil. O que corresponde a um dia na entrada de venezuelanos”, explicou Marcelo Lopes.

Confira a entrevista completa com o secretário de Relações Institucionais de RR, Marcelo Lopes: