Governo espera definir novo cronograma de privatização da Eletrobras nesta sexta-feira

Divulgação do novo calendário deve sair até, no máximo, a próxima semana

  • Por Jovem Pan
  • 22/04/2022 13h27 - Atualizado em 22/04/2022 13h29
Agência Brasil prédio da eletrobras Dentro do governo acredita que será mais difícil privatizar a Eletrobras com o passar do tempo e proximidade com o segundo semestre de 2022

Deve ficar pronto nesta sexta-feira, 22, e no máximo até a próxima semana o novo cronograma de privatização da Eletrobras. A primeira janela para privatizar a estatal neste ano já se fechou, já que esta semana o ministro do Tribunal de Contas da União, Vital do Rêgo, pediu vistas no processo que discute na Corte a desestatização, apesar do Ministério de Minas e Energia ter feito pedidos aos ministros para evitar tais pedidos de vistas. Com o adiamento de 20 dias do pedido de Rêgo, não há mais como realizar nenhuma operação até 13 de maio. A próxima janela somente após a divulgação do resultado do primeiro trimestre da Eletrobras, que deve ser publicado em 16 de maio.

Atualmente, dentro do governo há duas correntes divergentes sobre o processo de privatização da Eletrobras, segundo pessoas ligadas ao Planalto. Alguns são mais otimistas e acreditam que há prazo para realizar a capitalização e outros acham que há chance de o processo fechar no prazo limite, em agosto deste ano, e que isso seria muito apertado para o cronograma. O segundo grupo acredita que se a operação ficar para ser realizada perto de agosto, há risco de não ocorrer ou de ser uma operação não muito bem sucedida já que o período tem diversas variáveis que dificultam o processo: férias no hemisfério norte no segundo semestre, menor interesse de investidores estrangeiros, regras de compliance e fundos de investimento, que proíbem aportes de recursos em países que estão na iminência de eleições presidenciais.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga