Governo faz levantamento de cargos federais nos Estados para evitar reforma ministerial

  • Por Jovem Pan
  • 07/08/2017 06h09 - Atualizado em 07/08/2017 11h01
Vista do 28° andar do Congresso Nacional com iluminaÇão de natal. Ana Volpe/Senado A estratégia é privilegiar os chamados “governistas de primeira hora”, que votaram na Câmara contra a abertura do processo contra Temer

Os ministros da Casa Civil, Alexandre Padilha, e da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, fazem um levantamento dos cargos federais nos Estados. São diretorias das estatais e representações dos ministérios nos Estados.

A estratégia é privilegiar os chamados “governistas de primeira hora”, que votaram na Câmara contra a abertura do processo por corrupção contra o presidente Michel Temer. Essa é a decisão do Governo para não abrir a reforma ministerial, que deixaria o PSDB com menos representação nos Ministérios.

O Centrão na Câmara dos Deputados é que pressiona. Pelas contas iniciais, são mais de 3 mil cargos indo até o terceiro escalão. É assim que Temer se prepara para o passo seguinte: a votação das reformas.

Os aliados que votaram a favor do presidente terão preferências nas nomeações e depois os que votaram contra, mas que marcaram presença e, por fim, os que mesmo votando contra, irão apoiar as reformas. Agora, aos deputados de oposição: nada.

*Informações do repórter José Maria Trindade