Governo Federal quer repassar florestas à iniciativa privada

  • Por Jovem Pan
  • 20/02/2020 06h33 - Atualizado em 20/02/2020 08h33
Elza Fiúza/Agência BrasilGoverno Bolsonaro quer privatizar regiões da Floresta Amazônica

O Programa de Parceria e Investimentos (PPI), agora sob a gestão do ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou a intenção de oferecer três florestas no Estado do Amazonas para a iniciativa privada – as florestas de Humaitá, de Iquiri e de Castanho.

Pelo cronograma inicial Humaitá deve ser leiloada no final do ano, enquanto que Iquiri e Castanho deverão ficar para meados do ano que vem. A ideia é de que todas tenham um prazo de concessão de quarenta anos. E durante esse período será autorizado o uso sustentável e diversificado dos recursos florestais, além de pesquisas científicas.

Na proposta deverá estar prevista Inclusive a exploração de madeira nessas áreas. Uma forma, segundo o governo de evitar grilagens e desmatamentos ilegais. Também foram incluídos na  os parques nacionais de Canela e São Francisco de Paula, ambos no Rio Grande do Sul.

Ao todo, na reunião, 22 vinte e dois novos projetos foram incluídos na pauta do PPI, elevando para 134 os projetos que fazem parte da chamada “carteira do programa”. O governo incluiu também a BR-040, que liga Brasília e Juiz de fora, cuja previsão de investimento é de algo em torno de R$ 7 bi. A rodovia já havia sido leiloada no final de 2013, mas o consórcio vencedor decidiu devolver a concessão.

Para as próximas semanas, a meta do governo é fechar a modelagem da chamada capitalização da Eletrobrás. Otimista, avalia que é possível aprovar a venda da estatal desde que possa contar com a boa vontade do Congresso Nacional. No caso dos Correios, a equipe do PPI avalia que a privatização só deva ocorrer no ano que vem.

* Com informações da repórter Luciana Verdolin.