Governo federal vai reforçar vacinação na fronteira para conter variantes

Prefeitura de São Paulo já registrou transmissão local da variante delta; Queiroga foi questionado sobre cepa que chegou com a Copa América

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2021 07h39 - Atualizado em 15/07/2021 10h14
MARCIO FERNANDES/ESTADÃO CONTEÚDOQueiroga disse que o Brasil tem ofertas suficientes de imunizantes e não precisam mais da Covaxin, da Índia, e Sputnik V, da Rússia

O governo vai reforçar a vacinação contra a Covid-19 nas fronteiras como forma de conter a chegada de novas variantes ao Brasil. Nesta quarta-feira, 14, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, vacinou os ministros Fábio Faria e general Ramos em Brasília. Aos jornalistas, Queiroga disse que o Brasil tem ofertas suficientes de imunizantes e não precisam mais da Covaxin, da Índia, e Sputnik V, da Rússia. A Covaxin teve o contrato de venda suspenso por suspeita de irregularidades. Em audiência na Câmara dos Deputados, o ministro Queiroga foi questionado sobre a descoberta de uma nova cepa, que teria sido trazida ao país com a Copa América. Sem dar detalhes, ele disse que o envio de mais doses a cidades próximas de países vizinhos já foi aprovada. “Em relação a Copa America, essas variantes só foram detectadas por conta da Copa e pela estratégia de testagem. O que não impede que cidadãos dos países que temos fronteiras sólidas transitem e tragam variantes que não são detectadas porque a estratégia de testagem é praticamente impossível.” A Prefeitura de São Paulo confirmou, nesta quarta, que a variante delta já circula na cidade. Pelo menos 40 pessoas que tiveram contato com o primeiro paciente confirmado foram acompanhadas e não foram localizados históricos de viagem ou contato com viajantes.

*Com informações do repórter Victor Moraes