Governo Fernández apresenta pacote de recuperação da economia

  • Por Jovem Pan
  • 18/12/2019 06h34 - Atualizado em 18/12/2019 07h54
EFETambém consta no pacote a criação de uma alíquota de 30% para aqueles que compram dólares a fim de poupar

O ministro da Economia da Argentina, Martín Guzmán, apresentou, nesta terça-feira (17), um pacote de medidas econômicas para tentar aumentar a arrecadação do governo.

O objetivo do projeto de lei, chamado de Solidariedade Social e Reativação Produtiva, seria permitir um gasto maior com questões sociais, sem comprometer o aspecto fiscal.

Entre as medidas descritas no texto que será enviado ao Congresso, estão a elevação de impostos sobre bens pessoais, como os imóveis.

Também consta no pacote a criação de uma alíquota de 30% para aqueles que compram dólares a fim de poupar e para compras feitas com a moeda norte-americana no exterior.

Em contrapartida, o governo argentino pretende dar dois bônus de 5 mil pesos para aposentados que recebem salário mínimo – um em dezembro e um em janeiro. De acordo com o ministro Martín Guzmán, as medidas pretendem proteger os setores mais vulneráveis.

Ele reconheceu que a situação argentina é bastante grave e afirmou que as medidas propostas buscam reerguer a economia, preservando os que não têm como pagar mais.

Guzmán afirmou também que uma das frentes de atuação do Governo de Alberto Fernández será fazer mudanças no sistema previdenciário. O atual sistema, segundo o ministro, não funciona e não protege a população. As alterações devem acontecer em até 180 dias.

Guzmán afirmou que alguns impostos terão de volta alíquotas que vigoravam em 2015, antes de serem modificadas pelo governo antecessor, de Maurício Macri.

Também nesta terça-feira, a ministra da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina, afirmou que acompanha de perto a situação da Argentina. Para a ministra, a sobretaxação do agronegócio argentino é preocupante e, se a cotação de trigo subir, o Brasil pode importar de outro lugar.

*Com informações do repórter Renan Porto