Governo não pretende acionar termelétricas mais caras fora da “ordem de mérito”

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2017 06h35
Reprodução/MMEA declaração foi dada nesta quinta-feira (14), no Rio de Janeiro, pelo presidente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Luiz Barroso

O Governo federal não pretende, no curto prazo, acionar térmicas mais caras fora da chamada ordem de mérito.

A declaração foi dada nesta quinta-feira (14), no Rio de Janeiro, pelo presidente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Luiz Barroso. Segundo ele, está chovendo acima da média neste começo de dezembro.

Se isso continuar, o nível dos reservatórios vai se recuperar aos poucos, segundo Barroso. Os meses do período seco foram terríveis para os reservatórios e muitos tiveram baixas significativas.

O presidente da EPE disse que se este nível de chuva continuar, apenas em fevereiro é que uma decisão será tomada sobre despacho de térmicas fora da ordem de mérito.

Barroso adiantou que no segundo semestre do ano que vem haverá um novo leilão de energia, além de outro já previsto para abril do ano que vem. Até o final deste ano, três leilões de energia serão promovidos pelo Governo.

*Informações do repórter Rodrigo Viga