Governo de São Paulo quer avançar com concessão de aeroportos

  • Por Jovem Pan
  • 13/05/2020 06h56 - Atualizado em 13/05/2020 07h19
Agência BrasilJuntos, esses aeroportos representam um volume anual de 19,5 milhões de passageiros, o que representa 9,5% do mercado nacional de aviação

O projeto de concessões de 22 aeroportos administrados pelo Departamento Aeroviário no Estado de São Paulo segue em pleno andamento apesar da pandemia da Covid-19. A expectativa é para assinatura dos contratos no início de 2021. A proposta prevê investimentos de R$700 milhões entre obras e operações pela iniciativa privada ao longo de 30 anos.

O secretário de Logística e transportes, João Otaviano Neto, indica que a infraestrutura será um dos pilares para a retomada pós-pandemia.

“A infraestrutura sempre será um grande ponto de alavancagem do crescimento econômico. Por isso, nós acreditamos que os aeroportos estão inseridos no novo contexto nesse novo momento que nós vamos viver, momento de superação, nós vamos ter que enfrentar essa crise da pandemia. Essa crise da pandemia não pode nos paralisar.”

O diretor de Planejamento, Gestão e Finanças, Ângelo Grossi, fala que a concorrência internacional vai contemplar a ampliação, manutenção e realização dos investimentos para exploração dos complexos aeroportuários. Ele aponta que serão divididos em dois blocos, o noroeste, com 13 aeroportos, e o sudeste, com nove.

O leilão está previsto para dezembro deste ano. Transitam, atualmente, na rede paulista de aeroportos administrados pelo Estado, cerca de 2,4 milhões de passageiros.

*Com informações do repórter Daniel Lian