Governo tem ‘articulação zero’ e ‘me deixou sozinho’, diz relator da MP da Liberdade Econômica

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2019 08h59
Pablo Valadares/Câmara dos DeputadosPara ser aprovada rapidamente, Câmara retirou pontos polêmicos da MP

O deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), relator da Medida Provisória (MP) da Liberdade Econômica na Câmara dos Deputados criticou a atuação do governo federal durante a tramitação da reforma na Casa. Em entrevista ao Jornal da Manhã nesta quarta-feira (14), ele disse que gestão atual tem “zero articulação política” e disse que estava sozinho durante a votação da proposta em plenário.

“O governo é zero na articulação política, não ha nenhuma outra referência a ser feita com relação ao governo na sua capacidade de articular um projeto de lei, ou alguma outra coisa. Assim como na reforma da Previdência, a MP da Liberdade Econômica avançou porque o Brasil sabe que tem que avançar, e com isso congresso tem esse Compromisso”, declarou.

Goergen afirmou que não recebeu apoio dos mais interessados em aprovar a proposta. “Ontem, tirando a equipe do Ministério da Economia, o secretário Rogério Marinho, não tinha ninguém da esfera politica do governo me ajudando em uma pauta que era do governo”, reclamou.

Ele disse, ainda, que a retirada de 33 pontos considerados polêmicos da proposta, de modo que o projeto saiu da comissão especial com 53 artigos e foi aprovado com apenas 20 no plenário, foi feita, principalmente, porque eram assuntos que não tinham a ver com a temática da MP e que atrasariam ainda mais sua tramitação, possibilitando até que o texto caducasse.

“O problema é que tínhamos pouco tempo para poder avançar – se o projeto não fosse aprovado ontem, acredito que não passaria mais por falta de tempo [a medida caduca no próximo dia 28]. Então resolvemos retirar todas as emendas que não tinham procedência temática com a Liberdade Econômica, ficamos apenas com o que era sobre o tema para conseguir avançar e diminuir a área de atrito”, explicou.