Governo tenta reverter embargos à carne brasileira no Brics

  • Por Jovem Pan
  • 24/07/2018 09h16
ReproduçãoBlairo Maggi em vistoria à sede da BRF em Concórdia-SC

O governo deve aproveitar a Cúpula dos Brics (que reúne Brasil, Rússia, Índia e China), que será realizada nos próximos dias, para tentar reverter parte dos embargos à carne brasileira.

Em dezembro, a Rússia suspendeu as importações de carne suína brasileira porque detectaram a presença da ractopamina, uma substância proibida naquele país. Já em abril deste ano, a Operação Trapaça revelou um esquema de fraude em análises sanitárias e a União Europeia proibiu a importação de carne de frango de 20 frigoríficos brasileiros.

O setor da avicultura sofreu novas sanções quando o governo chinês acusou o Brasil de dumping e impôs medidas protetivas contra o setor.

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, reafirmou nesta segunda-feira que o país não praticou a concorrência desleal. O ministro garantiu que as negociações estão andando e que o estudo brasileiro para questionar a medida na Organização Mundial do Comércio também está caminhando.

Nesta quarta-feira, Blairo Maggi embarca para a cúpula dos Brics e pretende conversar com as autoridades responsáveis. Paralelamente a isso, uma missão brasileira chegou à Rússia nesta segunda-feira para resolver as questões técnicas do embargo causado pela ractopamina.

Em relação à União Europeia, Blairo Maggi disse que o Brasil vai apresentar as justificativas e propostas de mudanças. A expectativa é que uma missão do bloco venha ao Brasil avaliar os frigoríficos embargados em abril.

Ministro não aceita tabela de fretes

Maggi fez as declarações durante o Global Agribusiness Forum, realizado em São Paulo com apoio de países ao redor do mundo. Ao ser perguntado sobre a tabela de fretes, o ministro tentou se desvencilhar do ponto de vista do governo e respondeu sob a óptica do produtor.

“Eu sou governo e foi o governo que apresentou essa proposta (…), mas há um impasse nisso. Eu, como produtor, não aceito essa tabela, não aceito os valores que foram colocados na tabela”, disse.

Segundo o ministro da Agricultura Blairo Maggi, a tabela está atrasando o transporte de insumos, o que leva à queda de produtividade das lavouras brasileiras.

As informações são de Nanny Cox ao Jornal da Manhã: