Grande São Paulo calcula estragos após primeiro temporal do ano

  • Por Jovem Pan
  • 04/01/2020 10h40
Estadão ConteúdoNa capital, 17 pontos registraram alagamento

A chuva que atingiu a região metropolitana da cidade de São Paulo nesta quinta feira (2) provocou 16 desabamentos, 33 enchentes e 12 quedas de árvore. A cidade de Franco da Rocha foi a mais atingida e registrou alagamentos em casas e estabelecimentos comerciais.

A água também invadiu a emergência de um hospital da cidade. O pronto-socorro ficou fechado e retomou os atendimentos somente nesta sexta-feira (3).

A chuva ficou mais intensa na região a partir das 17h e no início da noite, a altura da água chegou a 2 metros, como explica o meteorologista da CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas), Thomaz Garcia. “As chuvas que atingiram a capital paulista foram intensas principalmente no extremo da Zona Sul e no extremo da Zona Norte, na divisa com os municípios de Guarulhos, Mairiporã e no extremo norte da Grande São Paulo. Os volumes acumulados chegaram a 12,5% da média esperada para janeiro.”

Na capital houve registro de 17 pontos de alagamento, e o CGE emitiu estado de alerta para as subprefeituras de Perus e Cidade Ademar, devido ao risco de transbordamento dos córregos. Por causa de outro alagamento, os trens da Linha 7-Rubi da CPTM circularam com intervalos maiores.

Vídeos gravados por passageiros mostram uma “cachoeira” dentro do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, causada pela tempestade. A água invadiu setor de embarque e lojas do Terminal 3.

Funcionários e lojistas tiveram que correr pra tentar secar o piso nos corredores do aeroporto, que também amanheceu normal na sexta-feira (3). Para o final de semana, a previsão é que as pancadas de chuva caiam no fim da tarde.

*Com informações do repórter Victor Moraes