Grupo de Lima defende ’saída pelo voto’ da crise na Venezuela

  • Por Jovem Pan
  • 24/07/2019 10h06
EFEO ministro do Peru, Nestor Popolizio, disse que qualquer esforço só vai funcionar se a Venezuela concordar com a urgência de novas eleições

Os representantes dos países-membros do grupo de Lima se reuniram em Buenos Aires nesta terça-feira (23) pra discutir a crise da Venezuela. Eles aproveitaram a ocasião pra renovar o apoio ao autoproclamado presidente Juan Guaidó.

Durante a reunião, o ministro de Relações Exteriores do Peru, Nestor Popolizio, disse que qualquer esforço só vai funcionar se a Venezuela concordar com a urgência de novas eleições livres, justas e transparentes.

Também nesta terça-feira, o parlamento venezuelano aprovou o retorno ao TIAR, que é o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca. A Venezuela estava fora do tratado desde 2013.

Na prática, o TIAR estabelece que um ataque a um dos países-membros do tratado é considerado um ataque a todos. Já que o tratado inclui os Estados Unidos, opositores ao governo de Nicolás Maduro esperam que a volta da Venezuela ao TIAR facilite uma intervenção militar estrangeira para derrubar Maduro.

Mas o autoproclamado presidente Juan Guaidó fez questão de dizer que o TIAR não é mágico, e que, por si só, não é a solução. Guaidó reforçou que o tratado obriga o povo a tomar as ruas com mais força.

Na segunda-feira (22), outro grande apagão atingiu pelo menos 14 estados da Venezuela, incluindo a capital do país, Caracas, que ficou completamente no escuro..

*Com informações da repórter Mariana Janjácomo