Guardia defende que próximo Governo continue reformas e não descarta Reforma da Previdência neste ano

  • Por Jovem Pan
  • 13/09/2018 06h32
Agência Brasil"Qualquer candidato que estiver comprometido com processo de reformas, de redução de custo Brasil, redução de burocracia e disciplina fiscal tem a minha simpatia”, disse

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse que o Brasil precisa continuar o atual ciclo de reformas durante o próximo Governo.

Após um evento do Banco do Nordeste, em Fortaleza, ele foi questionado por jornalistas se tinha algum candidato de preferência na eleição presidencial. Na visão do ministro, o próximo presidente da República deve manter uma agenda econômica nos moldes da atual: reduzindo custos e fazendo reformas.

“Brasil precisa aprofundar e seguir na linha das reformas. Então, qualquer candidato que estiver comprometido com processo de reformas, de redução de custo Brasil, redução de burocracia e disciplina fiscal tem a minha simpatia”, disse.

Eduardo Guardia destacou a importância da reforma da Previdência, que o governo Temer tentou aprovar no ano passado, mas sem sucesso. Para ele, deve ser prioridade para quem assumir.

Guardia ainda disse que, se o presidente eleito concordar, é possível votar as mudanças nas aposentadorias ainda neste ano: “se o presidente eleito concordar que a reforma da Previdência é projeto importante e necessário nós estamos com toda a disposição para ajudar a votar ainda neste ano”.

Segundo o ministro da Fazenda, a expectativa é que o Brasil cresça 1,6% neste ano, número abaixo da expectativa inicial, que era de 3%.

Guardia ainda defendeu a proposta do Governo de adiar o reajuste dos servidores públicos federais, previsto para o ano que vem, para diminuir o rombo no orçamento.

*Informações do repórter Levy Guimarães