Guedes pede ajuda do Congresso para “blindar economia” contra Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 11/03/2020 06h32 - Atualizado em 11/03/2020 09h35
Suamy Beydoun/Estadão ConteúdoNa mensagem enviada, Guedes disse que as propostas são fundamentais para estimular e blindar a economia brasileira

Diante do agravamento do cenário econômico em função do coronavírus, o ministro da Economia, Paulo Guedes, enviou nesta terça-feira (10) ofício ao Congresso pedindo a aprovação de pautas que estão em tramitação nas duas Casas.

Na mensagem aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, Guedes disse que as propostas são fundamentais para estimular e blindar a economia brasileira.

Entre as medidas elencadas como prioritárias pelo ministro estão a privatização da Eletrobras, a autonomia do Banco Central, os Novos Marcos Legais do Saneamento e do Gás e o novo Pacto Federativo. Guedes ainda solicitou outras medidas, como a atualização das regras para recuperação judicial de empresas e também a nova Lei de Finanças Públicas.

O ofício enviado ao Congresso vem logo depois de Rodrigo Maia ter cobrado do governo propostas de estímulo à economia para acelerar o crescimento do PIB. “Sozinhas elas não vão recompor e recuperar o crescimento da nossa economia. Mas elas organizam e continuam o trabalho de reorganização do Estado Brasileiro que nós já estamos fazendo desde o governo Michael Temer. Muitas coisas foram votadas e muitas coisas continuarão sendo votadas no parlamento”, afirmou Maia.

Questionado sobre o teto de gastos, Maia afirmou que é contra alterações neste momento.

A fala do presidente da Câmara vai de encontro ao discurso do secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues. Para o secretário, com a instabilidade da economia atrelada à epidemia de coronavírus, o mais provável é que haja um contingenciamento do Orçamento Federal.

Ele ponderou ainda que, mesmo com a desaceleração, o PIB deve crescer acima de dois por cento em 2020.

O governo divulga nesta quarta-feira (11) a nova previsão oficial de crescimento da economia para este ano.

*Com informações da repórter Camila Yunes.