Harvey Weinstein chega a acordo milionário com vítimas de abuso

  • Por Jovem Pan
  • 12/12/2019 06h51 - Atualizado em 12/12/2019 07h09
EFE/ Paul BuckApesar do acordo, Harvey Weinstein ainda não está livre da Justiça; ele é alvo de dois processos criminais e será julgado em janeiro

O produtor de cinema, Harvey Weinstein, e as mulheres que o acusam de assédio podem ter chegado a um acordo provisório. Advogados informaram que todas as principais partes envolvidas aceitaram a proposta preliminar de US$ 25 milhões, cerca de R$ 103 milhões, em indenizações.

Mais de 30 atrizes e ex-funcionários acusam Weinstein de ofensas que vão de assédio sexual a estupro. Caso o acordo seja aceito, quase todos os processos contra o ex-magnata de Hollywood e contra a produtora que ele comandava seriam extintos.

Os valores seriam pagos por seguradoras do antigo estúdio.

Apesar do acordo na esfera cível, Harvey Weinstein ainda não está livre da Justiça. Weinstein é alvo de dois processos criminais e será julgado em janeiro de 2020 numa corte de Nova York.

Se comprovados os crimes, o produtor pode ser condenado à prisão perpétua.

Nesta quarta-feira (11), Harvey Weinstein compareceu a Suprema Corte de Manhattan usando um andador, devido a uma cirurgia que fez recentemente. O juiz do caso determinou que Weinstein pague uma fiança de US$ 5 milhões por ter violado os termos da liberdade condicional.

Segundo os promotores, o produtor de cinema não usou a tornozeleira eletrônica e nem um dispositivo de sinalização por dezenas de vezes.

A promotoria também alertou sobre o risco de Harvey Weinstein fugir do país em um jato privado. Até o julgamento no início do ano, ele não tem permissão para sair dos Estados Unidos.

*Com informações da repórter Livia Fernanda