Homem confessa que matou o pai na zona sul de São Paulo

  • Por Jovem Pan com Estadão Conteúdo
  • 06/08/2018 08h31 - Atualizado em 06/08/2018 11h53
Reprodução/Google MapsPraça Pereira Coutinho, na Vila Nova Conceição, onde fica o prédio onde ocorreu o patricídio

Ricardo Antônio Novaes Carmona, de 42 anos, suspeito de matar o pai, o empresário Oswaldo Carmona, de 78 anos, teve a prisão temporária decretada pela Justiça por 30 dias, na manhã desta segunda-feira (06).

Ele confessou ter matado o pai a facadas na noite de sábado (4), no apartamento da família, na Vila Nova Conceição, bairro nobre da zona sul de São Paulo. Ricardo deixou o prédio momentos antes de o corpo ser achado e foi encontrado apenas na manhã desta segunda-feira (6). Ele confirmou que assassinou o pai e disse ter ouvido “vozes muito fortes na sua cabeça dizendo para matá-lo”.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, Ricardo foi detido ao desobedecer a uma ordem de parada de uma operação policial, na região de Pinheiros, zona oeste da cidade. Ele tentou fugir, mas foi abordado. Na ação, de acordo com a PM, Ricardo teria confirmado ser autor do crime. Na delegacia, segundo a polícia, ele informou ter problemas psiquiátricos.

A vítima é o empresário Oswaldo Carmona, de 78 anos. Segundo a Polícia Civil, ele foi encontrado morto pela mulher caído no chão por volta das 21h30 de sábado. A Polícia Militar informou que foi acionada por volta da 1h20 da madrugada de domingo e encontrou a vítima com duas marcas de perfuração pelo corpo (uma na barriga e outra no rosto) e uma faca sobre o sofá. Não havia sinais de arrombamento no imóvel.

Veja as informações de Tiago Muniz ao Jornal da Manhã:

Testemunhas disseram à polícia que o filho da vítima deixou o local utilizando o carro de Carmona antes de o corpo ser encontrado pela mulher. O zelador do edifício estranhou o fato de o homem sair dirigindo. Ele disse à PM que o suspeito tinha “enfermidade psiquiátrica” e usava entorpecentes.

A viúva do empresário não estava no local e, de acordo com a polícia, foi avisada sobre a ocorrência pelo porteiro do prédio.

Carmona era sócio de pelo menos dez empresas que atuam com comércio de produtos como madeira, vidro e ferragens na região do Brás, na região central, e na zona oeste, e com a administração de imóveis. Algumas delas em sociedade com a mulher e um filho.

O crime ocorreu em um apartamento localizado na Praça Pereira Coutinho, uma área nobre da zona sul – onde os apartamentos são avaliados em mais de R$ 5 milhões.

O caso foi registrado no 14.º Distrito Policial (Pinheiros) como homicídio e será investigado pelo 15.º DP (Itaim Bibi), responsável pela área onde ocorreu o assassinato. O filho está detido no 14º DP.

Estatísticas

Registros de ocorrências da SSP mostram que este foi o primeiro homicídio registrado na região do 15.º DP este ano – entre janeiro e junho. Em toda a capital, no mesmo período, já foram 344 assassinatos. O último homicídio registrado na região do Itaim Bibi ocorreu em fevereiro do ano passado. Com informações são do jornal O Estado de S. Paulo.