Homenagem à PF vira ato em apoio ao combate à corrupção

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2019 06h40
ESTADÃO CONTEÚDONa tribuna da Câmara, nesta segunda-feira (2), o diretor-geral da Polícia Federal fez um agradecimento aos integrantes da PF

Uma homenagem à Polícia Federal no plenário da Câmara virou ato em apoio ao combate à corrupção, e diretor-geral chama a PF de “republicana”. Ao evitar entrar em polêmica, Maurício Valeixo declarou que, sem o empenho dos servidores, a história da corporação seria negativa.

Desde o início de seu mandato, o presidente Jair Bolsonaro afirmou inúmeras vezes sobre a possibilidade de promover trocas no comando.

Na tribuna da Câmara, nesta segunda-feira (2), o diretor-geral da Polícia Federal fez um agradecimento aos integrantes da PF.

“Sem a contribuição, comprometimento, a dedicação desses valorosos servidores, a história da PF seria de resultados negativos. Renovo meus profundos agradecimentos a todos os servidores e colaboradores. Vocês são o maior patrimônio da Polícia Federal.”

O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, destaca que a instituição ainda é jovem – foi criada em 1967.

O presidente da Associação Nacional dos Delegados, Edvandir Paiva, fez um apelo aos deputados para que a corporação não seja prejudicada pela reforma administrativa.

“Eu peço aos parlamentares: cuidado. Necessidade de olhar peculiaridades, de uma atividade absolutamente diferente. Uma atividade que cobra dedicação especial de várias outras profissões.”

O presidente da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal, Edvandir Paiva, acrescenta que os servidores precisam estar motivados.

Já o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luiz Antônio Boudens, defendeu parcerias com os demais órgãos de investigação. “Um trabalho voltado para o MP, que é o nosso condutor da fase seguinte, e Poder Judiciário – que precisa se mostrar firme.”

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luiz Antônio Boudens, defende mudanças na lei orgânica da corporação.

As entidades já enviaram sugestões ao Congresso para análise do organograma e da autonomia administrativa.

*Com informações da repórter Camila Yunes