Homens mudam percepção de cuidados e buscam novos serviços de estética

Brasil é o quarto maior mercado mundial de beleza; em 2019, faturamento do setor passou de R$ 150 milhões

  • Por Jovem Pan
  • 28/09/2021 08h06 - Atualizado em 28/09/2021 10h48
PixabayEm cinco anos, 2012 a 2017, houve um crescimento de 70% na venda de produtos de cuidados pessoais voltados para o público masculino.

O fotógrafo Ike Levy virou influenciador digital há cinco anos Desde então, ele passou a tomar mais cuidado com a aparência e a buscar, a cada quinze dias, cuidados em um salão. “Comecei a falar sobre as minhas paixões e a principal delas e cuidados pessoais, passei a me vestir com mais cuidado, a cuidar da barba, do cabelo. É muito legal valorizar esse cuidado da melhor forma, porque tem muito estudo, muita ciência por trás disso”, relata. O especialista em cabelos masculinos Luciano Alves explica que, assim como Levy, os homens tiveram uma mudança de percepção e passaram a procurar mais serviços de beleza. “Antigamente, o homem só se preocupava na parte do corte. Hoje, ele se preocupa com tratamentos estéticos. Há 20 anos ou 30 anos se consumia apenas lâmina de barbear, shampoo quase nada. Agora, os homens se preocupam com filtro solar, com muito mais coisas.”

Em cinco anos, 2012 a 2017, houve um crescimento de 70% na venda de produtos de cuidados pessoais voltados para o público masculino. O dermatologista Felipe Mota vê esse aumento como algo muito positivo. “O homem percebeu que, na verdade, cuidar da pele não é uma questão de vaidade, é de saúde. O homem está mais antenado com relação a melhorar a autoestima e o bem-estar. Ele tem como característica buscar produtos multifuncionais, ou seja, que atendam a funções diferentes, como shampoo que também é para região de barba”, disse. Uma pesquisa da empresa Euromonitor mostra que o Brasil já é o quarto maior mercado mundial de beleza e cuidados pessoais. E que o faturamento desse setor, em 2019 passou de R$ 150 bilhões.

*Com informações do repórter Victor Moraes