Hospitais, em parceria com SUS, oferecem protocolos de segurança a pacientes da rede pública

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2017 08h41 - Atualizado em 30/08/2017 12h07
A ação visa reduzir em 50% as infecções relacionadas à assistência à saúde no País

Com base nos protocolos de hospitais de excelência para qualidade e segurança ao paciente, o Ministério da Saúde em parceria com essas instituições, lançou o Projeto Colaborativo “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”.

O ato ocorreu nesta terça-feira (29), em São Paulo, durante o terceiro Fórum Latino-Americano de Qualidade e Segurança na Saúde.

O plano será construído por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS) em parceria com o Institute for Healthcare Improvement.

A ação visa reduzir em 50% as infecções relacionadas à assistência à saúde no País, como explicou o ministro da Saúde, Ricardo Barros: “implementado em 120 hospitais ao longo de três anos esperamos economizar R$ 15 bilhões e salvar 8,5 mil vidas”.

A medida prevê também uma redução de R$ 1,2 bilhão de gastos com tempo de permanência do paciente nos leitos e com a utilização de insumos.

O presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, Sidney Klajner, acrescentou que a segurança é o que qualquer paciente procura no sistema de saúde: “há de criar-se um ambiente seguro para que não ocorra alguma brecha em que a própria atenção à saúde cause algum dano ao paciente”.

O projeto Colaborativo terá duração de três anos nos 120 hospitais selecionados pelo Ministério da Saúde.

Essas unidades serão divididas em grupos coordenados pelos seis Hospitais de Excelência: Hospital Alemão Osvaldo Cruz, Beneficência Portuguesa, Hospital do Coração, Hospital Israelita Albert Einstein, e Hospital Sírio Libanês de são Paulo, além do Hospital Moinhos de Vento do Rio Grande do Sul.

*Informações do repórter Fernando Martins