Com receio de ação do PCC, Ibaneis cobra explicações de Moro sobre presídio no DF

  • Por Jovem Pan
  • 23/01/2020 06h24 - Atualizado em 23/01/2020 08h17
Fátima Meira/Estadão ConteúdoIbaneis Rocha é governador do Distrito Federal

O governo do Distrito Federal cobrou explicações do ministro da Justiça, Sérgio Moro, sobre a segurança da penitenciária de Brasília. Entre outros presos perigosos, o presídio comporta, por exemplo, o líder do PCC, conhecido como Marcola.

Em um ofício, a gestão de Ibaneis Rocha (MDB-DF) aponta um “silêncio dos órgãos federais que, em última análise, pode ensejar um incidente extremamente grave caso haja uma situação de emergência que as polícias locais precisem agir.”

Também pede “o envio urgente dessas informações sobre o que realmente está acontecendo e o exato grau de ameaça” a que a população está exposta. Como afirma o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres.

“Precisamos saber o que está acontecendo, a realidade dos fatos. O distrito Federal não foi comunicado em momento algum sobre o que está acontecendo. Nós temos visto uma movimentação até do Exército na segurança do presídio, andando pela cidade. 

Inaugurado em 2018, o presídio é classificado como um “erro” pelo secretário Anderson Torres. Para ele, Brasília não é o lugar adequado. 

“A Capital Federal, ao nosso ver, não é o local para se trazer essas lideranças de organizações criminosas. Aqui nós temos as sede dos poderes, todos os tribunais superiores, o Congresso, o presidente da República, mais de 200 representações diplomáticas aqui. Quer dizer, a segurança pública do Distrito Federal é ‘sui generis’.”

Outro fato que aumentou a preocupação do governo do DF e também do Governo Federal foi a fuga de 40 brasileiros de uma penitenciária no Paraguai, no último domingo. Já em dezembro, foi descoberto um plano do PCC para resgatar Marcola.

* Com informações do repórter Levy Guimarães.