Imigrantes cubanos são presos ao entrar nos Estados Unidos ilegalmente pelo mar

Fronteira marítima é constantemente utilizada pelos imigrantes por causa da pequena distância entre a ilha e o sul da Flórida

  • Por Jovem Pan
  • 28/07/2021 10h12 - Atualizado em 28/07/2021 11h31
EFE/EPA/WILL OLIVER - 28/07/2021Recentemente, durante a passagem do furacão Elsa, um barco virou com 17 pessoas que saíram de Cuba e não esperavam a tempesteado tropical

Mais 22 imigrantes cubanos foram presos pelos agentes da imigração dos Estados Unidos ao tentarem entrar no país através do mar, entre a ilha de Cuba e o Sul da Flórida. A fronteira marítima é muito utilizada por quem quer entrar ilegalmente no país dada a pequena distância entre os dois pontos — cerca de 100 quilômetros. Porém, o uso de pequenos botes além da capacidade também torna grande o número de acidentes. Na semana passada, cinco cubanos já tinham sido presos no mesmo local. Apenas nos primeiros três meses de 2021, foram mais de 500 cubanos detidos por esse motivo. Um outro número que assusta é o de mortes.

Recentemente, durante a passagem do furacão Elsa, um barco virou com 17 pessoas que saíram de Cuba e não esperavam a tempesteado tropical. Deste grupo, 10 pessoas ainda estão desaparecidas. A situação é grave e pode se intensificar por causa dos muitos protestos registrados no país desde o dia 11 de julho, contra o comunismo. Até o momento, cerca de 100 pessoas estão presas por lá entre artistas e contra revolucionários que não concordam com o governo de Miguel Díaz-Canel. No último dia 26 de julho seria celebrada a tomada do quartel de Moncada, ação que marcou o início da luta de Fidel Castro, mas a data passou batida por causa das manifestações. A situação na ilha é considerada complicada: diversas cidades permanecem sem energia elétrica e internet, além da falta de alimentos e medicamentos. Hoje, Cuba tem mais de oito mil infectados pela Covid-19.