Incêndio no CT do Flamengo começou no ar-condicionado, segundo laudo

O forro utilizado para revestir as paredes também contribuiu para que o fogo se alastrasse

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2019 06h30
Tomaz Silva/Agência BrasilO incêndio deixou 10 mortos e três feridos

Conforme já haviam sido denunciado e alertado sobreviventes da tragédia no Ninho do Urubu, o incêndio que matou 10 atletas das categorias de base do Flamengo em fevereiro começou em aparelho de ar-condicionado.

Segundo laudo pericial da Polícia do Rio de Janeiro, um curto-circuito deu origem a um incêndio no ar-condicionado e o fogo se alastrou rapidamente.

Os jogadores ficavam instalados em contêineres adaptados com camas e banheiros. O forro utilizado para revestir as paredes também contribuiu para que o fogo se alastrasse ainda mais rápido.

O incêndio deixou 10 mortos e três feridos. Alguns já chegaram a acordo de indenizações, mas a maioria continua brigando com o Flamengo na Justiça.

O laudo do órgão de perícia da Polícia Civil do RJ aponta ainda para série de irregularidades no CT da base. Segundo o relatório, os contêineres tinham instalações elétricas irregulares e estavam em desacordo com os princípios previstos nos fundamentos da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

*Informações do repórter Rodrigo Viga