Incêndio no pantanal de MS destrói área do tamanho da cidade do Rio

  • Por Jovem Pan
  • 05/11/2019 06h48
Chico Ribeiro/Governo MSApenas nos primeiros quatro dias de novembro, 2.228 focos de incêndio foram registrados

O pantanal de Mato Grosso do Sul voltou a sofrer com as queimadas em pleno início da primavera. A combinação de calor, baixa umidade do ar e um longo período de estiagem, tem feito com que o fogo se alastre rapidamente pela vegetação seca.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), 122 mil hectares já foram queimados entre Corumbá e Porto Murtinho nos últimos dez dias, uma área equivalente à cidade do Rio de Janeiro.

O governo do Estado de Mato Grosso do Sul avaliou, nesta segunda-feira (4), as ações de combate ao fogo no Pantanal, batizada de Operação Pantanal 2.

O secretário estadual Jaime Verruck, afirmou que, com o apoio do Exército, irá intensificar os trabalhos por terra e ar de forma coordenada. A força-tarefa, que conta com 120 homens e seis aeronaves, ganhará nesta terça-feira (5) o reforço de 35 bombeiros do Distrito Federal.

O planejamento da Operação Pantanal 2 está sendo feito de acordo com a previsão climática dos próximos dias.

A meteorologista da Somar Meteorologia, Heloísa Pereira, explica a estiagem em pleno período úmido. “Mesmo com o início da primavera, as chuvas ainda estão bastante irregulares no Brasil central. Não atingimos a média de chuvas para o mês de outubro em grande parte do Sudeste e Centro-Oeste, isso tudo porque as chuvas ainda estão bem intensas no extremo sul do Brasil. Só que ao longo dos próximos dias esse padrão deve mudar: as chuvas vão se alinhar no Brasil central e tem previsão de mais de 50 milímetros acumulados, inclusive para áreas do estado de Mato Grosso do Sul.”

De acordo com o Inpe, apenas nos primeiros quatro dias de novembro, 2.228 focos de incêndio em Mato Grosso do Sul foram registrados. Desses, 92% estão concentrados na área pantaneira do Estado.

*Com informações da repórter Livia Fernanda