Indefinição sobre veto à desoneração irrita líderes e Alcolumbre defende votação nesta quarta

Para o presidente do Senado, a tendência no momento é pela derrubado do veto presidencial

  • Por Jovem Pan
  • 30/09/2020 05h17 - Atualizado em 30/09/2020 08h30
Jefferson Rudy/Agência SenadoO adiamento da sessão para ganhar tempo e continuar negociando ainda não é descartado

Está marcada para esta quarta-feira, 30, a análise do veto do presidente Jair Bolsonaro à desoneração das folhas de pagamento. A medida, que pode afetar 17 setores da economia, evita a prorrogação do benefício até o fim de 2021. Dessa forma, seria mantida a lei em vigor, que vale apenas até o final de 2021. Porém, no Congresso Nacional, o cenário foi de indefinição ao longo desta terça-feira, 29. Líderes governistas passaram o dia negociando um acordo para que, mesmo se a desoneração for mantida, o governo consiga uma fonte de receita para compensar as perdas. O adiamento da sessão para ganhar tempo e continuar negociando ainda não é descartado. O presidente do Congresso, Davi Alcolumbre, afirma que a tendência de momento é pela derrubada do veto.

Ao mesmo tempo em que o governo tenta ganhar tempo, parlamentares de diferentes legendas vêm pressionando o presidente do Congresso a manter a votação nesta quarta. Parte deles defende que a desoneração seja, inclusive, expandida para mais setores da economia e até 2022.  O veto à desoneração precisa, primeiro, ser analisado pelos deputados, em sessão que está marcada para às 10 da manhã de hoje. Na Câmara, a derrubada é considerada menos certa. Caso ela se concretize, passa pelo crivo dos senadores, em sessão prevista para às 16 horas.

*Com informações do repórter Levy Guimarães