Indenizações por morte pagas pelo DPVAT cresceram 23% em 2017, aponta relatório

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2018 07h11 - Atualizado em 07/02/2018 07h39
Tiago Muniz/Jovem Pan Tiago Muniz/Jovem Pan De acordo com o levantamento, mais de 380 mil indenizações foram pagas no ano passado

O número de indenizações pagas para vítimas fatais no trânsito brasileiro cresceu 23% em 2017. Isso foi o que apontou o Relatório Anual Seguradora Líder-DPVAT, divulgado nesta terça-feira (06).

De acordo com o levantamento, mais de 380 mil indenizações foram pagas no ano passado.

A pesquisa ainda mostrou que 75% desse valor foi recebido por homens que se acidentaram no trânsito. E que três em cada quatro casos estão relacionados a veículos sobre duas rodas.

As motos são responsáveis pelo maior número de ocorrências e vítimas.

Só em 2017, foram 285 mil sinistros abertos por motociclistas.

Segundo o diretor do Portal do Trânsito, Celso Alves Mariano, um trânsito saudável é sustentado por três fatores: “não há como pensarmos em transito funcional e seguro sem engenharia, esforço legal e educação sejam atendidos devidamente”.

Celso Alves Mariano entendeu ainda que as leis não aplicadas ou não cumpridas geram descrença à população.

De acordo com o relatório, o Estado de São Paulo é o campeão em número de indenizações pagas por morte no trânsito.

Para o presidente do Sindicato dos Corretores de Seguro no Estado de São Paulo, Alexandre Camilo, essa é uma realidade natural: “São Paulo, evidentemente, detentor da maior frota de veículos circulantes tem de ser o responsável dentro de processo natural de indenizações corretas, tem de ter o maior percentual de indenizações”.

Alexandre Camilo contou que em anos anteriores outros distritos, com menos veículos, tinham um número de indenizações maior do que São Paulo. E que agora, após uma reestruturação da Seguradora-Líder, o ranking foi atualizado.

Minas Gerais e Ceará completam a lista dos Estados com maior número de sinistros no País.

*Informações do repórter Vinicius Custódio