Indústria química vê atividade despencar, mas aposta em diversificação para sair da crise

  • Por Jovem Pan
  • 01/05/2020 06h40 - Atualizado em 01/05/2020 07h23
Cecília Bastos/USP Imagens Cecília Bastos/USP Imagens A ABIQUIM aponta que apenas 36% das empresas mantiveram capacidade instalada em abril em 70%

A crise econômica derivada do coronavírus atinge 77% da industria química no Brasil com redução nas vendas internas e exportações. A diretora de Economia e Estatística da ABIQUIM, Fátima Giovanna Coviello Ferreira, lembra que o setor é muito heterogênico.

“As empresas que operam atendendo demanda na área de combate ou prevenção à covid-19 estão indo bem, tendo resultado dentro da media. Já as empresas que atendem segmentos de industria automobilística ou construção civil, entre outros, estão praticamento rodando com carga mínima.”

O setor reclama do custo do gás natural na produção, que não reflete a acentuada queda do mercado internacional do petróleo.

“Essas empresas estão pagando um gás natural referenciado a um petróleo Brent de US$ 50 a US$ 60 o barril porque o nosso preço é referenciado a cotação de 3 ou 6 meses atrás. Existe um delay entre o que acontece no mercado e o que pagamos. O nosso concorrente lá fora tem competitividade em vantagem.”

A ABIQUIM aponta que apenas 36% das empresas mantiveram capacidade instalada em abril em 70%. Enquanto isso, 50% elevaram a ociosidade para 40 a 50%. Apenass 7% operaram com plena carga.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos