Instituto do Câncer completa dez anos e segue como referência no trato da doença

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2018 08h56 - Atualizado em 17/05/2018 11h10
Edson Lopes Jr/ A2ADInstituto do Câncer já realizou mais de 26 milhões de atendimentos, entre consultas e exames

O Instituto do Câncer do Estado de São Paulo faz dez anos com olho em novas tecnologias e se preparando para um panorama mais desafiador da doença. O Icesp tratou 94 mil pessoas desde a inauguração, em 2008. A entidade cuida de um em cada dez casos da doença em toda a população paulista.

O Instituto realizou mais de 26 milhões de atendimentos, entre consultas e exames. Todos esses números, símbolos de grandeza, representam aspectos importantes do Icesp. Para o futuro, o secretário estadual da saúde de São Paulo, Marco Antônio Zago, diz que a preocupação é formar novos profissionais.

“Sabemos que a mudança no perfil da população e do perfil epidemiológico tende a transformar na doença com a principal causa de morte no Brasil. O Icesp tem um papel importante na formação de especialistas, desde médicos e há um grande número de residentes que vêm do Brasil inteiro”, disse Zago.

O Instituto do Câncer inaugurou nesta quarta-feira um sistema de correio pneumático. O Icesp instalou dois 2,7 Km de tubos ao longo de todos os andares do prédio e também em setores do Hospital das Clínicas. Agora, os funcionários podem enviar amostras de exames e outros materiais dentro de cápsulas numa velocidade de 8 m/s.

O diretor do Instituto, Paulo Hoff, diz que o ganho de eficiência será perceptível em todos os setores. “Isso vai nos possibilitar com que os exames coletados no hospital chegam ao laboratório e voltem. Eventualmente pequenos produtos, como bolsas de soro, possam ser transmitidos num tempo muito curto. Será melhor para o pacientes, mais eficientes para os funcionários e todos ganhamos”, explicou Hoff.

O Icesp atende 100% dos pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os tipos de câncer com maior incidência tratados na entidade são os de mama, entre mulheres, e órgãos genitais, entre os homens.

*Com informações do repórter Tiago Muniz