Inverno brasileiro começa neste fim de semana

  • Por Jovem Pan
  • 20/06/2020 09h00
FÁBIO VIEIRA/FOTORUA/ESTADÃO CONTEÚDOA expectativa da meteorologia é de pelo menos duas fortes ondas de frio entre julho e agosto

A estação mais fria do ano começa neste sábado às 18:44 pelo horário de Brasília. Este é o exato momento em que o Hemisfério Sul recebe a menor quantidade de energia solar, marcando o famoso o solstício de inverno. Com o inverno, também chegam as características típicas da estação, como formação de névoa ao amanhecer e a concentração de poluentes na atmosfera devido o tempo seco.

A baixa umidade relativa do ar é algo que gera preocupação. A Organização Mundial de Saúde estabelece que índices inferiores a 60% não são adequados para a saúde humana. Durante as tardes, conforme a temperatura sobe, a umidade do ar diminui, agravando os problemas respiratórios. A otorrinolaringologista Milena Costa explica que os sintomas provocados pelo inverno são parecidos com os da covid-19.

Para sabermos como será o inverno em termos de chuva e temperatura, precisamos falar de neutralidade climática. O oceano pacífico equatorial, grande regulador de temperatura e regime de chuva da Terra, não terá nem El Nino, nem La Niña no inverno 2020. O meteorologista Celso Oliveira alerta que neutralidade não significa dentro da média.

Em uma perspectiva geral, a chuva deve ficar abaixo do normal no norte do Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e o pantanal. Isso traz preocupação quanto ao nível de reservatórios para abastecimento e geração de energia. Do Rio de Janeiro ao Amazonas, toda a Região Norte, há expectativa de chuva dentro do normal.

E as temperaturas? A expectativa é de pelo menos duas fortes ondas de frio entre julho e agosto. Mas, durante o intervalo, a temperatura pode ficar mais elevada que o normal no Sul, Centro-Oeste e boa parte do Sudeste. Por outro lado, Espírito Santo, Minas Gerais e boa parte do Nordeste terão um inverno menos quente que o normal, ou seja dentro da média.

*Com informações da repórter Livia Fernanda