Irma, Harvey, Katrina: saiba como são escolhidos os nomes de furacões

  • Por Jovem Pan
  • 08/09/2017 08h38 - Atualizado em 08/09/2017 11h34
Tudo começou em 1953, no Centro Nacional de Furacões de Miami, para identificar ventos a partir de 119 km/h

O Furacão Irma continua causando mortes e devastação. Sua passagem pelo Caribe deixa um rastro de destruição, o temor aumentou com sua aproximação da costa do estado norte-americano da Flórida.

Mas de onde vem os nomes dos furacões?

Tudo começou em 1953, no Centro Nacional de Furacões de Miami, para identificar ventos a partir de 119 km/h. A ideia era facilitar a divulgação de alertas para a população.

Há poucos dias o furacão Harvey causou mortes e alagamentos no Texas. E quem não se lembra da catástrofe provocada pelo Katrina em 2005, que matou 1.833 pessoas e danos estimados em US$ 153 bilhões?

Outros que ficaram marcados por grandes estragos foram o Andrew em 1992 e Sandy em 2012.

Hoje, a lista é padronizada por uma agência das Nações Unidas em Genebra.

O batismo é anual e segue a ordem alfabética, começando com nomes populares pela letra A.

Neste ano, por exemplo, a primeira tempestade tropical se chamou Arlene e o último nome da lista é Whitney.

Quando é muito potente a ponto de marcar uma geração, o comitê aposenta sua nomenclatura.

A temporada de furacões no Atlântico começou em junho e vai se estender até novembro.

*Informações do repórter Daniel Lian