Isolamento social requer cuidados com alimentação e atividade física

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2020 06h39
Bruno Rocha/Estadão ConteúdoA quarentena também modificou a forma como as pessoas praticam exercícios físicos

Quando estava na faculdade, a administradora Mariana Fernandes foi do time de handbol e rugby.

Sempre que pode, escolhe a bicicleta como meio de transporte e tem no cardápio uma alimentação repleta de frutas, verduras e legumes. Mariana conta, no entanto, que estar próxima da cozinha tem ajudado a melhorar a alimentação.

Em um momento de crise global pelo coronavírus, as mudanças na rotina e o medo do incerto podem ser o gatilho para transtornos alimentares.

A nutricionista Camila Rodrigues ressalta que a saúde mental está conectada ao consumo equilibrado dos alimentos.

Uma grande parcela da população trabalha remotamente neste período de quarentena. Quem já tem o hábito de tomar um cafézinho entre reuniões, deve ficar atento para não exagerar na quantidade.

Já a nutricionista da Beneficiência Portuguesa, Christiane Hanashiro, aconselha a aumentar o consumo de chás que auxiliam a reduzir o estresse.

A quarentena também modificou a forma como as pessoas praticam exercícios físicos. O que antes era feito em academias ou parques agora deve ser feito dentro de casa.

No entanto, os exercícios físicos podem ser deixados de lado por falta de ânimo ou tempo, já que outras tarefas ocupam mais espaço no dia a dia.

O personal trainer Anderson Felix reforça que, neste momento, o importante é se movimentar. O personal lembra que educadores físicos e profissionais capacitados têm criado treinos adaptados para pequenos espaços.

Anderson destaca que, frente a esta realidade, é fundamental respeitar os limites do corpo de cada um.

*Com informações da repórter Nanny Cox